OS PRIMITIVOS habitantes da região onde se localiza o atual município foram os índios Coremas e Panatis, da tribo Cariris, que, ao longo do tempo, cederam lugar ao desbravadores. 

Referências históricas sobre o local onde teve início a Sede Municipal são encontrados no Registo nº 811, de 4 de julho de 1783, do Livro do Registro das Sesmarias, no Arquivo Público do Estado, em que o Alferes Nicolau Rodrigues dos Santos diz “ser possuidor de um sítio chamado Conceição nas Cabeceiras do rio Piancó, que descobriu em 1776, e o tem povoado e obtido água do riacho chamado Conceição que tem foz no riacho Logoa Seca e este o Piancó, no lugar Poço do Cavalo, limitado do sítio de Maria Soares, para cima na direção do poente, cujas terras precisa no seu gado, e pedia por sesmaria três léguas acima confrontadas”. 

Mais tarde, seu filho, Nicolau Rodirigues dos Santos Júnior, obtendo concessão de outras léguas, ampliou o patrimônio da família. 

No inicio do século XIX, João Rodrigues dos Santos, auxiliado por seus irmãos, doou vasta área de terra às margens do Pinacó, onde, com a construção de casas e da capela de Nossa Senhora da Conceição, Padroeira do Município, se desenvolveu a povoação. 
 
Gentílico: conceiçãoense
 
fonte: IBGE